São Paulo, Quaresma de 2014

Querido(a) amigo(a),

Quaresma é tempo de solidariedade e partilha. Todos os anos – e já são mais de 20 – promovo esta Campanha de Quaresma em benefício de uma obra social que conheço, acompanho e na qual confio.

Este ano a escolhida é o Centro de Direitos Humanos e Educação Popular de Campo Limpo (CEDHEP), que atua na Zona Sul da capital paulista, nos distritos de Jardim Ângela, Capão Redondo, Jardim São Luís e Campo Limpo. Nesta região vivem mais de 1 milhão de habitantes, dos quais 23% estão na faixa etária entre 18 e 29 anos.

Com altos índices de violação de direitos, violência e segregação, o distrito de Campo Limpo possui o maior número de óbitos por homicídio de jovens da cidade de São Paulo, seguido do Jardim Ângela, segundo estudo da Rede Nossa São Paulo.   

Fundada há 30 anos, com origem na Comissão Pastoral dos Direitos Humanos da Região Episcopal de Itapecerica da Serra (SP), a entidade tem como desafios centrais a violência, o acesso à justiça e a responsabilização. A sede do CDHEP em Campo Limpo foi construída em mutirão da comunidade, em terreno doado por um particular.

Visitei o CDHEP na segunda semana de novembro do ano passado, embora já lhe tivesse prestado assessoria no decorrer da década de 1990.

Dois programas se destacam na entidade:

  • Perdão e Justiça Restaurativa. A prática de Justiça Restaurativa é um meio de gestão de conflitos em que um facilitador auxilia os envolvidos, junto com os membros de sua família e comunidade, a iniciar um processo dialógico, capaz de transformar uma relação conflituosa ou violenta em uma relação de respeito. Ajuda cada participante a reconhecer seus atos, assumir responsabilidades e reparar os danos.
    Iniciado em 2005, o Programa tem por finalidade a formação e aplicação dessas práticas. Cuida da formação de educadores de escolas públicas da região, técnicos em diversas áreas sociais, agentes de pastorais, população encarcerada, agentes penitenciários e movimentos populares. Facilita e supervisiona processos restaurativos e promove Núcleos Comunitários de Práticas de Justiça Restaurativa. Dentre outros parceiros deste Programa, está a Pastoral Carcerária.
  • Programa Criança e Juventude. O CDHEP tem longa atuação com a juventude da região. Atualmente, seus dois principais projetos são o Observatório Local dos Direitos da Criança e do Adolescente no território do Capão Redondo, protagonizado por jovens moradores da região, e Construindo uma nova narrativa com jovens mães moradoras do Capão Redondo, cujo objetivo é estabelecer processos de conscientização envolvendo jovens mães, com idade entre 14 e 24 anos, para que construam projetos de vida e difundam ações de garantia dos Direitos Sexuais e Reprodutivos.

Desde 2009 o CDHEP desenvolve ações de interface entre os dois Programas. Entre 2010 e 2012, o CDHEP implementou o projeto Novas Metodologias de Justiça Restaurativa com Adolescentes e Jovens em conflito com a lei, uma parceria com a Secretária Especial dos Direitos Humanos do Governo federal. Em janeiro de 2012, iniciou um segundo projeto em parceria com esta mesma Secretaria – Tecendo Redes de Cuidado: Fortalecimento do Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente e Práticas de Justiça Restaurativa, cujo objetivo éarticular e capacitar o Sistema de Garantia de Direitos visando a proteção integral da criança e do adolescente em situação de vulnerabilidade, e diminuição de judicialização em escolas públicas da Região.

A equipe do CEDHEP é integrada por 14 pessoas, sendo que oito monitoram os cursos e quatro cuidam da administração. As despesas mensais fixas (custos institucionais) são em torno de R$ 12 mil, sendo que uma parte procede da Secretaria Nacional de Direitos Humanos do Governo Federal e da contribuição de agências estrangeiras. Essas fontes são insuficientes para as necessidades da ONG.

Quaresma é tempo de oração e abstinência. Convido-o(a) a abster-se de um lanche, uma refeição fora de casa, e doar, ainda que R$ 1, a esta importante obra social.

Sua doação pode ser feita no Banco Bradesco,
Agência: 1432
Conta: 72.130-1.
Ao: Centro Direitos Humanos e Educação Popular de Campo Limpo.
CNPJ: 61.580.080/0001-96

Se precisar de recibo ou preferir depositar em outro banco, entre em contato com
Sara Silas
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.Tel: (11) 55119762.

Deus lhe pague!

Meu abraço com amizade e paz, e Feliz Páscoa!

assina

Frei Betto